sábado, 24 de dezembro de 2011

A mãe de Ramsés II

A estátua acima visualizada encontra-se no Vaticano e representa Tuia, mãe do grande Ramsés II e esposa de Seti I. Sabe-se pouco da sua vida. Ao que parece terá sido filha de um militar, comandante de carros de guerra. Talvez durante o reinado de Horemheb, último faraó da XVIII dinastia, a jovem Tuia tenha casado com Seti, filho do general Paramessu, importante colaborador militar e vizir desse faraó e depois seu sucessor como Ramsés I, fundador da XIX dinastia.

Tuia tem, pelo menos, três filhos documentados, entre os quais Ramsés II e Tia. Uma rainha de Ramsés II, chamada Henutmiré, surge na estátua aqui apresentada, pelo que se discute se essa dama seria filha de Tuia e consequentemente irmã de Ramsés II ou então filha deste último.

Com Seti I no trono, Tuia tornou-se sua consorte real, mas não terá sido uma figura destacada durante o próspero e dinâmico reinado do seu esposo.

Na qualidade de mãe de Ramsés II, o caso revela-se bem diferente, pois existem vestígios a confirmar diversas homenagens do jovem rei à sua progenitora, tais como fragmentos numa capela do Ramesseum, o templo mortuário do monarca; uma estátua encontrada em Tanis, oriunda de Pi-Ramsés; inscrições em Abido; e outras referências à sua pessoa em Abu-Simbel e Deir-el-Medina. Ainda existe uma cabeça de um vaso canópico em exposição no Museu de Lucsor, que representa Tuia. Em todos os casos, Tuia passou a usar como prefixo, o nome «Mut» o qual tem o significado de «mãe» e assim começou a chamar-se Mut-Tuia.

A rainha viúva teve uma vida privilegiada durante as primeiras duas décadas do reinado de Ramsés II, possivelmente como conselheira influente juntamente com a nora, a bela Nefertari. Pensa-se que Tuia terá tido algum destaque na correspondência diplomática com o Reino Hitita visando a paz com este último depois de décadas de guerra, a qual efectivamente se concretizou no 21º ano do reinado de Ramsés com o famoso tratado egípcio-hitita.

Seja como for ela não viveu muito mais para apreciar em pleno os resultados desse tratado. Nada mais dela se sabe após o 22º ano do reinado, pelo que se deduz que terá morrido nessa altura. Veio a ser sepultada no túmulo QV80, localizado no Vale das Rainhas.

P.S. Para informações sobre a rainha Tuia, consultem o site http://en.wikipedia.org/wiki/Main_Page e pesquisem «Tuya (queen)».

Presumo que o Dicionário do Antigo Egito, do nosso estimado amigo, o professor Luís Manuel de Araújo terá um artigo a respeito desta rainha. Como não o tenho, desafio os que o possuem a pesquisar e a verificar eventuais omissões ou erros que eu possa inadvertidamente ter feito nesta postagem.

2 comentários:

  1. Na verdade o Dicionário do Antigo Egipto não insere um artigo sobre a rainha Tuia, mãe de Ramsés II, embora dedique artigos a outras rainhas como Tié, Titi, Nefertari, Nefertiti, Nitócris, Tauseret, Ahmés-Nefertari, Ahhotep, entre outras.

    Claro que não falta um artigo para a famosa rainha-faraó Hatchepsut, mas trata-se de um caso deveras especial na monarquia faraónica nos seus três mil anos de história

    ResponderEliminar